A alienação

A alienação

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Sobre os distúrbios em Londres e outras cidades da Inglaterra.


Os acontecimentos me parecem semelhantes a outros que já aconteceram na Europa, como os de Paris alguns tempos atrás.

A causa é a mesma, africanos e outras nacionalidades pobres vão para a Europa em busca de uma vida melhor, porém, a imensa maioria vai para lá sem nem ao menos saberem ler e escrever, não sabem inglês e não tem nenhuma profissão, obviamente não arrumam emprego.
O que fazem então?
Vão "morar" em bairros seguimentados para essa população, evidentemente, devido a ignorância e a pobreza, vai acontecer a degeneração social, drogas, formação de quadrilhas, prostituição, etc.
Tudo isso acompanhado de ódio a sociedade inglesa que eles veem vive bem.

Outra coisa, a polícia inglesa nem arma usava até pouco tempo atrás, a polícia inglesa sempre foi correta, só que a lei na Inglaterra é para ser respeitada, e não existe espaço para desordem. E a polícia faz seu papel preventivo nestes bairros.
Se, as gangues de jovens partirem para a violência, a polícia vai agir, e se precisar atirar para matar ela vai atirar. E a reação a isso tb já é conhecida e tem tb sua contra reação.

Eu sou da opinião que o governo inglês está errado ao permitir a entrada desse pessoal na Inglaterra e mais ainda a permanência deles na Inglaterra.
O que esse erro acarreta?
Acarreta os distúrbios que vimos.
E com isso os crápulas "intelectuais" marxistas do mundo inteiro e em especial do Brasil, passam a culpar a Inglaterra por existirem esses pobres e discriminados "ingleses"...
Eles não culpam os países de origem que geraram esses miseráveis, eles culpam a Inglaterra pela existência deles, e querem que a Inglaterra estabeleça "atitudes sociais" para eles... o que acarretaria dar ensino básico a todos eles, faculdade, moradia, pensão alimentícia por anos, ou seja, a Inglaterra teria que gastar milhões de libras para mudar a condição miserável dessas pessoas, devido a suas origens.
E como isso tem um enorme custo financeiro se torna difícil fazer isso, quem iria pagar a conta?
Porém, os crápulas fazem de conta q não sabem disso e continuam a condenar a Inglaterra por "discriminação"...
E fazem mais, associam isso a "crise mundial" e a "opressão capitalista".

Ou seja, é a mais pura imundice "intelectual" marxista.
Então é isso, não existe nenhuma "revolução", existe apenas a imunda, mentirosa e oportunista ação marxista se apropriando de tais situações em prol da corrupta e falida "causa".

Vou colocar a seguir o link de um vídeo com um desses crápulas "intelectuais" falando a sua imundice.

http://www.youtube.com/watch?v=HI1YSPHVeIA&feature=player_embedded

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Sobre crescimento econômico

A midia brasileira nestes dias está noticiando e comentando intensamente sobre a "crise internacional' e repete com a voz embargada de emoção exultante que os países desenvolvidos vão diminuir o crescimento econômico e até estagnar.
Dizem isso como se fosse uma coisa terrível...
Mas, não é.

As nações não são obrigadas a ficarem crescendo, crescendo, crescendo todos os anos, isto não é uma lei absoluta, isso não depende apenas de querer, isso depende de vários fatores.

Não crescer para uma nação como a Bolívia que tem grande parte da sua população na miséria é um problema, mas, não crescer para a Austria não é um problema.
Se a Bolívia não cresce isso significa que os miseráveis da Bolívia vão continuar miseráveis, não crescer para os austríacos significa apenas que eles não vão melhorar ainda mais o seu já excelente padrão de vida.

Vejamos o PIB da Austria nos últimos anos:

ANO_VALOR__% crescimento

2000 229.934 5.89 %
2001 236.352 2.79 %
2002 244.136 3.29 %
2003 251.390 2.97 %
2004 263.798 4.94 %
2005 278.816 5.69 %
2006 298.258 6.97 %
2007 318.487 6.78 %
2008 332.538 4.41 %
2009 322.537 -3.01 %
2010 332.005 2.94 %


Vemos ai que o PIB da Áustria cresce sempre - em relação ao ano anterior - mas, em 2009, ele não cresceu, em 2008 o PIB foi de 332 bilhões, em 2009 de 322 bilhões e em 2010 voltou para 332 bilhões.

Vejamos agora o que aconteceu com a renda per capita dos austríacos no periodo:

ANO_VALOR__% crescimento

2000 28700.28 5.64 %
2001 29388.63 2.40 %
2002 30206.87 2.78 %
2003 30966.01 2.51 %
2004 32290.87 4.28 %
2005 33897.45 4.98 %
2006 36073.98 6.42 %
2007 38367.54 6.36 %
2008 39889.11 3.97 %
2009 38566.99 -3.31 %
2010 39634.13 2.77 %


Em 2008 a renda de cada austrúiaco foi de 39889 dolares, em 2009 caiu para 38556 dolares e em 2010 voltou para 39634 dolares.
Ou seja, com a queda de -3,31% no CRESCIMENTO da renda per capita os austríacos ainda continuaram a ter uma excelente renda!
38 mil dolares !

Então, se a Austria não crescer mais, permanecer estagnada, isso não vai ser algo terrível, os austríacos vão continuar a ter uma excelente qualidade de vida!

Quem precisa querer crescer sempre são as nações pobres, para com isso, se existir distribuição de renda, os pobres possam melhora de vida, quanto aos países desenvolvidos, isso não tem grande importância, eles vão continuar a ter uma ecelente qualidade de vida.

Pronunciamento da presidenta Dilma

A presidenta Dilma no início de seu pronunciamento do dia 06/09/2011 disse:

"O mundo enfrenta os desafios de uma grave crise econômica e cobra respostas novas para seus problemas.
Apesar de ter a mesma raiz, a crise atual é mais complexa que aquela de 2008, da qual nós nos saímos muito bem."


Isso não está correto.
A crise de 2008 foi causada por fraudes no sistema de financiamentos "subprime" do mercado imobiliário do USA e que causou a falência de algumas seguradoras norte-americanas, e uma subsequente falta de crédito.

A crise "internacional" atual, que ainda não aconteceu, apenas está sendo prevista para acontecer pelo governo brasileiro, tem sua raiz em causa muito diferentes da de 2008, a atual está sendo causada devido a insolvência de algumas nações da Europa, em especial Portugal, Grécia e Espanha, governadas por socialistas, que apesar de não terem competência para produzir o suficiente, quiseram ter padrão de vida igual a outros países da Europa, e para manter tal padrão de vida artificial fizeram grandes empréstimos em bancos europeus que agora não podem pagar.

Então, a crise de 2008 não tem a mesma raiz que a atual como disse a presidenta.

A presidenta em seguida disse:

"Os países ricos se preparam para um longo período de estagnação ou até de recessão. Mas a crise não nos ameaça fortemente, porque o Brasil mudou para melhor."

Isso o governo brasileiro está dizendo... nenhuma nação desenvolvida afirmou isso, mesmo porque são apenas as nações citadas as que realmente tem problemas graves já detectados, algumas outras como Itália e França precisam fazer ajustes para não ter problemas.

Outra coisa é que se uma nação como a Inglaterra ou Alemanha ficar estagnada, isso não significa que ingleses e alemães vão passar necessidades... não, eles vão continuar a produzir um PIB percapita muito bom que em média fica em torno de 30 mil dolares.
Eles apenas não vão aumentar essa renda todo ano.

E devemos lembrar, essa "grave crise internacional" preconizada pelo governo brasileiro é apenas uma suposição.