A alienação

A alienação

sábado, 2 de junho de 2012

Por que existimos ? Para que existimos ? Qual a finalidade da nossa existência ?

Sempre foi minha preocupação descobrir a razão da existência, por que e para que existimos ?
Para tentar vislumbrar esse segredo eu pesquisei o que outros seres humanos já descobriram, pesquisei em todas as áreas do conhecimento, e de posse deles raciocinei usando dedução lógica.

As minhas conclusões, em resumo, são as seguintes:

1. Não podemos querer entender o sentido da vida pensando em termos locais, planetários, temos que pensar em termos universais, ou seja, não podemos esquecer que existimos em um universo, universo este cuja natureza e motivos da existência sabemos muito pouco.


UNIVERSO - uma entidade em evolução

O universo desde seu primeiro instante funciona por conta própria através de leis imutáveis, leis físicas, químicas, biológicas, psíquicas, orgânicas, sociais, etc, tudo no universo funciona em função das suas leis, tais como a lei de Einstein E = M * c^2, ou a lei de Newton da gravidade, ou a lei que nos dá a velocidade de um corpo (v = e/t), ou uma lei orgânica, como por exemplo para correr uma determinada distância gastamos determinada energia que deve estar armazenada dentro de nosso corpo, se não tivermos essa energia não vamos conseguir correr, ou uma lei psicológica, a morte de um ente querido nos trás sempre a tristeza, nunca a alegria.
A formação das estrelas, de onde toda a vida emana, e o seu fim seguem leis imutáveis, estrelas com a mesma massa sempre terão o mesmo fim. E nós, como estamos dentro do universo, também estamos sujeitos a essas leis universais.
Foram essas leis que propiciaram que a vida surgisse dentro do universo.

Se o Universo, segundo as leis conhecidas da física, está inflando, está em expansão, digamos, está aumentando o seu tamanho, o seu volume, apesar de continuar com a mesma massa - é porque existe "algo" fora do Universo para onde ele se expande, esse algo "lá fora" não é espaço-tempo, é a Origem que existe imóvel a zero graus absolutos, uma temperatura que não pode ser obtida dentro do espaço-tempo do nosso Universo, a Origem é Tudo, contém tudo, contém Universos.
A Origem existe imóvel porque possui a perfeição.
Se algo é perfeito então não necessita mais de transformações em busca de aperfeiçoamento, pois já é perfeito.
Se não existem transformações não existe mais movimento, por isso a Origem é imóvel.
No Universo tudo se move, tudo se transforma - porque dentro do Universo, no espaço-tempo, não existe perfeição.



2. A vida não existe para nós indivíduos, a vida existe na espécie, é a espécie que existe indefinidamente.


A vida existe nas espécies


Qual o sentido da vida ?

O mito da não existência de sentido na vida

A filosofia é a área que mais busca respostas para o "sentido da vida",  muitos não veem sentido na vida, muitos dizem que se não existir deus a vida não tem sentido, muitos estão convictos de que não existe deus e a vida não tem sentido, são muitas as opiniões quanto ao não sentido da vida.
Mas, a questão é simples, é claro que "a vida" tem sentido!  Ou melhor, o Universo tem sentido, certamente  tem uma finalidade.
A resposta simples é que a vida, o Universo - não tem o sentido - que os humanos gostariam que tivessem!
É este o problema, o desejo dos humanos que a vida fosse do jeito que eles gostariam que fosse, mas ela não é, por isso os humanos ficam tristes, acabrunhados, revoltados, indignados.
Os humanos gostariam que não existisse o câncer que os faz sofrer e morrer, mas ele existe.
Os humanos gostariam de não envelhecer, gostariam de ficar sempre jovens e belos, mas, envelhecem.
Os humanos gostariam de não morrer, mas, a certeza da morte os apavora.
Tudo isso está presente também na mente dos humanos intelectuais, pensadores, sábios, que devido a sabedoria que julgam ter acham que mereceriam uma maior consideração da vida e não sofrerem dos mesmos percalços que os "humanos comuns" sofrem, ou qualquer outro animal no planeta sofre, eles, sábios que são, deveriam ter "algo especial" reservado a eles, mas, ao fim, chegam a conclusão que não tem, por isso concluem que a vida é um absurdo e não tem sentido.
Mas, a vida tem sentido, só que a sentido da vida não é aquele que os indivíduos humanos gostariam que fosse.

O sentido da vida está na espécie e não nos indivíduos.

O corpo que temos não foi criado por nós, e não sabemos exatamente como ele foi construído e como funciona, não sabemos por que (e como) existem duas orelhas em nossa cabeça (e não uma ou três), não sabemos como o fígado conseguiu ter a capacidade inteligente que possui para administrar variadas funções essenciais do corpo, ou seja, nosso corpo, é um sistema inteligente que funciona independente de nós, e foi dado a nós para que o usássemos em prol da sobrevivência da espécie.
Em resumo, os indivíduos existem para a espécie e em função dela, é essa a razão da nossa existência.

A espécie é um ser pensante.
Temos provas disso.
A espécie prepara seus indivíduos da melhor forma que encontra para sobreviver diante dos predadores, a zebra criou listras em seu corpo para dificultar que moscas sugassem seu sangue, criou pálpebras nos humanos para que se fechem automaticamente e protejam o olho, as cobras fizeram suas peles terem cores do ambiente em que vivem, criaram veneno para matar suas presas, o beija-flor fez suas penas coloridas para se misturar com as flores em que se alimentam, no fundo dos oceanos peixes criam as mais variadas formas de camuflagem no próprio corpo para se misturarem com o ambiente e assim poder se salvar dos predadores, as tartarugas criaram carapuças resistentes onde podem se esconder dos predadores, os camaleões mudam de cor para melhor se camuflar, de acordo com o ambiente em que estão, para pegar suas presas, em suma, todas as espécies constroem o corpo dos seus indivíduos para que tenham maior chance de sobrevivência.

Importante notar que isso é uma relação da espécie com algo EXTERNO A ELA.
A espécie vê o meio ambiente e se adapta a ele de alguma forma, pois como pode a espécie morcego criar um sistema de ondas refletidas como o radar ou solar para que seus indivíduos não trombem com as paredes de uma caverna?
A espécie morcego sabe que existem as paredes...
E o mais magnífico - criou uma interação com o meio ambiente externo a ela!

Porém, tais mudanças para acontecer demoram milhares de anos!
Milhares de gerações!

Então, a espécie é um ser pensante e tem memória, a espécie guarda essa sua intenção de se proteger ao longo do tempo e vai aos poucos criando nos corpos de seus indivíduos a sua estratégia de luta pela sobrevivência.

A espécie é um ser que pensa, planeja e executa.
A espécie é um ente.


O Universo é uma espécie - a espécie que o imaginou e construiu.


3. Pode ser o indivíduo mais inteligente da humanidade, terá o mesmo destino do menos inteligente, os indivíduos não tem importância para a espécie.

 Nietzsche foi, na minha opinião, uma das mais poderosas mentes que já existiram, mas, ele tinha sífilis, a doença atingiu seu cérebro e ele de gênio passou a ser mentalmente inválido. A espécie usou o que ele descobriu em proveito próprio, mas, o corpo dele e a mente dele eram descartáveis.
Assim como são descartáveis milhões de indivíduos humanos que morrem por ano com apenas um dia de vida.
Não existe um bondoso deus, e este fato é evidente diante da realidade da natureza, não existe nenhuma forma de "vida" depois da morte, existem apenas as leis do universo, não temos a importância que pensamos ter, a caveira de um poderoso faraó é idêntica a de seu servo, de nada adiantou ele mandar embalsamar seu corpo, ele se perdeu da mesma forma que o corpo do servo e a vida que ele sonhava ter de volta ele jamais terá.


O corpo dos humanos não foi feito por um deus... foi feito pelo DNA, e este é uma consequência lógica das leis do Universo - átomos agrupados em moléculas

Nietzsche imaginou que existe um Eterno Retorno ao Mesmo, mas não existe, o universo é evolutivo, sempre existirá um universo mais complexo que o anterior.
Portanto, temos apenas uma vida, e o que podemos fazer é aproveitá-la bem, e na minha opinião, isso é excelente pois viver eternamente seria muito maçante!

4.  DNA - a espécie

No corpo de todas as espécies existe um elemento comum, a célula, bilhões de células, e dentro de todas elas existe uma entidade inteligente - o ser vivo primordial - o DNA – composto, no caso da espécie humana, por 23 pares de genes/cromossomos, é ele que comanda todas as ações vitais, foi ele que desenvolveu o corpo da espécie, é o DNA homo sapiens que possui a fórmula para criar um ser humano.


DNA, a espécie, o arquiteto

Os seres humanos surgem de uma única célula!
Na verdade um ser humano nasce da união de duas “meia-célula”, o espermatozoide e o óvulo.
O DNA humano dentro de cada célula possui um par de 23 cromossomos (genes), isso foi possível porque o espermatozoide tem um "meio par" de 23 cromossomos (genes) e o óvulo também possui um "meio par" de 23 cromossomos (genes), na fecundação os cromossomos (genes) do espermatozoide e do óvulo se unem e dão origem a primeira célula humana com o DNA completo com um par de 23 cromossomos (genes), a partir daí, o DNA começa a montar o corpo e a criar os órgãos do corpo através da divisão celular.


CÉLULA E SEU NÚCLEO

O DNA existe dentro da sua fortaleza, o núcleo das células, por segurança, ele coloca um clone seu em todas as células, são bilhões deles dentro do corpo humano, e de dentro da sua "central de controle" ele comanda todas as ações vitais do corpo, desde a sua formação até as suas funções mais simples do dia a dia

Se observarmos o desenvolvimento de um feto humano no útero vamos ver que ele está sendo construído passo a passo, de acordo com um plano, quem executa esse plano é o gene.
Portanto, não existem dúvidas quanto a quem é o nosso arquiteto – é o DNA homo sapiens.

Acima temos a foto de um feto humano e na outra uma sequência de fotos que mostram as fases da criação de um ser humano pelo gene, em ambas podemos ver claramente que entre 4 a 8 semanas o feto possui uma grande cauda!
É uma lembrança do que já fomos, no seu processo criativo o gene teve que passar por essa fase nos primórdios da formação da espécie para poder chegar na fase seguinte mais aperfeiçoada.
E é assim que o gene constrói seres humanos, através de código que ele guarda dentro dele bem protegido no núcleo de todas as células que compõem o corpo humano, e tudo que existe dentro de nós, existe pela vontade do gene homo sapiens.

O DNA não nasceu sabendo, ele está desde os primórdios aprendendo, e vai ficando cada vez mais sofisticado, e criando sistemas (os corpos) para sua proteção e onde ele existe cada vez mais sofisticado. Os genes dentro do DNA se diferenciaram formando as espécies, que estão em luta entre si pela sobrevivência e pela busca de cada vez mais conhecimentos – o DNA quer chegar ao máximo de inteligência possível.
No âmbito da filosofia Hegel foi o filósofo que mais chegou perto da realidade - a história é um "espírito" em formação concluiu ele, mas, na verdade a história narra a epopeia do DNA e seus genes, no corpo das espécies, em busca do máximo conhecimento.
Por isso, em vista desse perigo, as leis do universo trabalham contra isso.... quanto mais desenvolvida uma espécie, mais problemas emocionais ela terá, é o caso dos seres humanos, temos problemas emocionais que em espécies menos inteligentes que nós não existem, as mentes de cada espécie existem em escalas crescentes de compreensão da realidade interior e exterior.
Desta forma a espécie não está em luta apenas contra as demais, está em luta também contra as leis do universo, e em função delas está em luta contra si mesma quando chega a consciência inteligente. Vejam que aumenta a cada dia os humanos que acham que a espécie humana é um mal para o planeta e deveria desaparecer para salvar o planeta !
Isso nada mais é que um desejo de autodestruição provinda das leis do universo que apenas as espécies inteligentes possuem. O universo não quer ninguém tentando chegar até ele.
Toda a estupidez ideológica que existe na humanidade, seja ela política, religiosa ou social, é causada por isso, as ideologias são a ferramenta de destruição da própria espécie criada pelas leis do universo.
Porém, o(s) universo(s) é evolutivo e existe na Origem que a tudo contém, imóvel, a zero graus Fahrenheit, o movimento evolutivo é uma lei da Origem e os universos não conseguem evitá-la.

A vida é consequência de uma lei cósmica e não um acaso da natureza.


5. Os indivíduos agem em benefício da espécie, é este o plano do gene, e as "armas" que a espécie colocou dentro do corpo dos indivíduos, no caso dos humanos, para que eles ajam em prol dela são o desejo sexual e o desejo de sobrevivência (que engloba comer, beber, se defender contra outros animais, etc), Schopenhauer foi a mente brilhante que descobriu isso que ele chamou de "Vontade", de tal forma que em última instância, tais instintos soberanos sempre irão superar os desejos sociais.
O desejo sexual, o mais forte instinto entre os mamíferos, tanto no leão como no humano, foram criados pelo gene não para prazer dos indivíduos... foi criado para induzir os indivíduos a procriarem, dar origem a outros indivíduos, e assim preservar a existência da sua espécie. 
O prazer que é sentido é apenas uma isca, um engodo, um chamariz usado pelo gene para fazer com que os indivíduos façam o que ele deseja que façam...

 

*** 
 
 
Peço aos leitores que comentem este artigo, obrigado.
Arnaldo Arnolde

 
***
 

8 comentários:

  1. Muito boa a estruturação das ideias em tópicos "fundamenais", Arnaldo. Gostei do Blog, aqui há ainda mais espaço e liberdade pra postagens de assntos como Religião. Está de parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que legal sem enrolação e fantasias

    ResponderExcluir
  3. Nossa que legal sem enrolação e fantasias

    ResponderExcluir
  4. amei sua matéria, faz muito sentido o que você disse, me deixou até mais calma kkkkkkk gostei mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As indicações científicas indicam q as nossas incertezas e angústias são pq não sabemos nada sobre nós mesmos, sobre a morte. Eu vivo calmamente pois sei a q vim e para onde(não)vou.

      Excluir
  5. Muito interessante seu ponto vista. Suas ideias foram puramente racionais e cientificistas. Mas acho que enxegar o universo apenas de forma binária e linear não é o caminho para entendermos o "sentido da vida" ou mesmo o propósito da existência de tudo. Não interprete como inclinações religiosas, apenas acho que a natureza é muito complexa para seres oriundos como nós, humanos, tentarmos decifrar o universo com equações e mais equações. Pense bem, se tudo é governado por leis físicas imutáveis, então, por que quando densidade de um buraco negro tende ao infinito as equações que a regem tendem a singularidade? Nunca saímos do sistema solar, e acreditamos que sabemos "muito" do universo. O conhecimento humano é fútil e insignificante diante da vastidão da natureza envolvendo universos, dimensões ou qualquer outra coisa além do nosso alcance. A ciência funciona? É claro que sim, mas dentro de nossos limites e necessidades. Resumindo, qual é o sentido da vida? Não sei cara, e acho que nunca saberemos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Higher Will21, obrigado pela sua análise, vou responder colocando em evidência p seu texto a que me refiro.

      Sobre: "Mas acho que enxergar o universo apenas de forma binária e linear"
      Não vejo o Universo de forma binária e linear, vejo o Universo como uma entidade evolutiva e cíclica.

      Sobre: "tentarmos decifrar o universo com equações e mais equações."
      Não é que tentamos decifrar com equações.... o que a ciência faz é encontrar a equação que faz funcionar os diversos fenômenos da natureza, por exemplo a lei da gravidade, a natureza sempre funcionou de acordo com a equação de Newton, só que, antes dele, não sabíamos disso, o que Newton fez encontrar a equação que comando a gravidade.

      Sobre: "O conhecimento humano é fútil e insignificante diante da vastidão da natureza"
      Essa nova opinião de parte da humanidade de diminuir o ser humano no futuro será estudada pela psicologia.... em um planeta com bilhões de anos o ser humano existe como tal a 100 mil anos, e sua ciência a 500 anos, nesse tempo pequeno o ser humano já descobriu uma infinidade de coisas sobre a natureza, daqui a 10 mil anos muito mais será descoberto.
      Além disso, não existe apenas o ser humano como vida inteligente no Universo.

      Sobre: "Resumindo, qual é o sentido da vida? Não sei cara, e acho que nunca saberemos!"
      Você não save, mas, eu sei, e é o q está descrito no artigo, quanto a "nunca saberemos" isso é possível, se o ser humano se extinguir como os dinossauros.

      Excluir