A alienação

A alienação

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Aumentar as dívidas internas das principais nações do mundo até que se tornem impagáveis e as levem a falência é a estratégia revolucionária dos “intelectuais” do marxismo “cultural’ para que a previsão de Karl Marx da “crise final” do capitalismo aconteça e a revolução do proletariado a tempos tão esperada exploda com toda a sua violência por todo o mundo!



A algum tempo venho pensando em qual seria a estratégia do poder “progressista” dominante hoje no mundo para levar a sociedade ocidental, por eles desde e sempre denominada de “sociedade burguesa” capitalista, ao tão sonhado caos previsto por Karl Marx já em 1844 em um dos seus livros ?
Como eles estão “trabalhando”, o que eles estão planejando para que as previsões de Karl Marx se tornem realidade ?

O marxismo "cultural" dominou em Hollywood.
A muitos anos Hollywood vem fazendo filmes que tem a intenção de incutir
no senso comum da sociedade o "fim" da sociedade ocidental "capitalista". 
Mas, o que de concreto o marxismo está fazendo para que esse desejo se torne realidade?

Em vista dos últimos acontecimentos mundiais comecei a vislumbrar qual pode ser essa estratégia...
Um artigo de Delfim Neto na Folha de S.Paulo, que coloco no final, também contribuiu para a formação dessa idéia.

Me parecem que dentre outras menores duas se destacam bem a frente das demais, são elas:

1. O apoio financeiro, de marketing e militar  a “rebeldes” que possam tomar o poder em nações, digamos, do “terceiro mundo”, e que com isso possam fazer surgir enormes antagonismos na nação e na região, ou seja, “lutas de classe” em escala nacional.
O principal exemplo disso é a “primavera árabe’, amplamente apoiada pela mídia ocidental e por nações ocidentais dominadas por “progressistas”, como o EUA e a França.

"rebeldes"
Ao lado dos rebeldes um dos grupos mais atuante é a Al-Qaeda!

A tomada do poder pelos “rebeldes” claramente não vai levar a democracia como foi e é propagado pela mídia, vai levar a implantação de repúblicas islâmicas radicais, e que, depois de estabelecidas, partirão em bloco para um confronto final contra Israel, o que levará o mundo a uma guerra sem procedentes, inclusive a uma guerra nuclear, pois até lá o Irã já terá feito a sua bomba nuclear.
Israel - não será mais defendido pelo EUA, Obama está tentando estreitar relações de amizade com o Irã - e com certeza Israel será finalmente "varrido do mapa" pelos árabes, após esta vitória, esperam os “progressistas”, a agora poderosa nação árabe islâmica se voltará contra outras regiões infieis, o caos estará implantado no mundo.
Este sempre foi e sempre será o maior objetivo do marxismo!

Nação árabe


2.  O aumento contínuo da dívida interna das nações, um teste já foi feito na Grécia, Espanha, e Portugal, comandadas por socialistas e que foram a falência devido ao aumento de suas dívidas internas.
Os socialistas fizeram um teste com o euro

 Essas falências provocaram o caos na Europa por vários anos e a Europa ainda não conseguiu se livrar de seu maléfico efeito.

A desculpa para o aumento da dívida é sempre a ajuda aos menos favorecidos como está sendo feito no EUA onde Obama quer aumentar a já monstruosa dívida de 14 TRILHÕES DE DOLARES para custear a aquisição de planos médicos pelos pobres, em geral imigrantes latinos, que não tem condições de terem o plano, então, o governo “progressista” de Obama vai dar a eles, uma parte dos fundos será oriundo do aumento da dívida e a outra parte da cobrança de impostos “dos mais ricos”.

A intenção por trás das boas ações dos "progressistas'

No Brasil os “progressistas” no poder não param de aumentar a já enorme dívida interna de 2 TRILHÕES DE REAIS e que já compromete 48% do orçamento da nação para pagamento de juros e rolagem dessa dívida.

No Brasil não existem opositores a esse objetivo, no EUA os republicanos estão tentando parar essa ação mas estão sofrendo o avassalador ataque da mídia totalmente dominada por “progressistas’.
Me parece que a luta dos republicanos já está perdida, a não ser que eles partam para uma outra “guerra da secessão”, agora entre “liberais” x “conservadores”.

Desta forma, o marxismo “cultural’ tomou conta da situação na maior nação do mundo!
E se... eles conseguirem levar o EUA a falência eles levarão todo o mundo a falência!
E o tão odiado por eles “sistema capitalista” finalmente entrará em uma crise mundial sem precedentes que levará ao total caos todas as nações do mundo!

É exatamente isso que os marxistas sonham que aconteça a 160 anos!


E qual seria esse "outro mundo" ?
Bom... isso jamais foi dito por nenhum socialista ou marxista!
Jamais os revolucionários que querem destruir a sociedade que existe atualmente 
disseram que tipo de sociedade melhor que atual eles colocariam no lugar!
Para Karl Marx, como ele escreveu no "Crítica ao Programa de Ghota", 
a única coisa que existiria após a tomada do poder seria a  "ditadura do proletariado".


***


Artigo de Delfim Neto

30/10/2013 - 03h00
Dívida/PIB

Pesquisas empíricas recentes mostram que os efeitos das "incertezas" sobre o comportamento da economia são mais graves do que se supunha. Alteram, inclusive, a natureza e a qualidade da resposta dos agentes às políticas fiscal e monetária.

Os fatos sugerem que a reação aos desequilíbrios fiscal e monetário tem que ser muito mais pronta, energética e agressiva quanto maior forem as incertezas que os cercam.

Por um lado, em condições normais de pressão e temperatura, elas são parte inerente da economia de mercado, uma vez que as flutuações são ínsitas ao seu funcionamento e, frequentemente, são acentuadas pela ciclotimia dos próprios agentes econômicos, que tendem a um comportamento imitativo: a um eventual excesso de "otimismo" segue-se, sempre, um excesso de pessimismo. Por outro, as "incertezas" são maiores ou menores na justa medida em que há uma "confiança" recíproca maior ou menor entre o poder incumbente e os agentes econômicos.

Estamos terminando 2013 com um importante grau de incerteza, mas com os seguintes resultados (que, se não são brilhantes, não são desastrosos diante das dificuldades da economia mundial): 1) crescimento do PIB em torno de 2,7%; 2) taxa de inflação ligeiramente abaixo de 6%; 3) robusto deficit em conta-corrente da ordem de 3,6% e uma relação dívida bruta/PIB parecida com 60% do PIB. Há, entretanto, desconforto com alguns controles de preços (inflação reprimida) e com a relação dívida/PIB, não só pelo seu tamanho, mas pelas perspectivas de seu crescimento, apesar de ela ser, basicamente, em reais.

Num prazo mais curto, dois eventos preocupantes a ameaçam: 1) a aprovação, por expressiva maioria na Câmara dos Deputados, da negociação das dívidas de Estados e municípios, que, além de violar seguramente o "espírito" (e talvez a letra) da Lei de Responsabilidade Fiscal --o instrumento fundamental da nossa estabilidade--, estimula o aumento do endividamento dos entes federados; 2) a aprovação, no projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias, de dispositivo que, implicitamente, dá início à concretização do "Orçamento impositivo". Sem uma regulamentação adequada de como se fará a estimativa da receita do Orçamento, ele terminará em tragédia.

São fatos como esses, contra os quais não se vê um sério engajamento do Executivo para mostrar à sociedade suas consequências no longo prazo, que têm chamado a atenção das desastradas agências de rating, do FMI, da OCDE e do Banco Internacional de Compensações (BIS), e podem levar a um rebaixamento da nossa classificação soberana. Isso poderá ter consequências dramáticas, sobretudo se coincidir com a redução dos estímulos monetários nos EUA.


***


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Socialistas, comunistas e esquerdistas em geral, usam a muitos anos a tática de difamação contra pessoas que os impedem de assumir o poder e implantar a ditadura socialista, essa ação consiste em difamar continuamente a vítima com a criação de mentiras, chacotas, apelidos, escárnio, ações na justiça nunca comprovadas, e toda sorte de injurias, no Brasil a maior vítima dessa ação (criada pelos corruptos do "mensalão") é Maluf, e na Itália é Berlusconi.



Na Folha de S.Paulo de hoje saiu o seguinte artigo de Clovis Rossi.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/2013/10/1351043-o-bufao-berlusconi-ultimo-ato.shtml

03/10/2013 - 03h17
O bufão Berlusconi, último ato?

Eugenio Scalfari, notável jornalista italiano, criador de "La Repubblica", compara Silvio Berlusconi a Macheath, elegante anti-herói da "Ópera dos Três Vinténs", de Bertolt Brecht, um marginal cercado de mendigos, ladrões, prostitutas e vigaristas.
Parece ofensivo, mas colocar Berlusconi como personagem de um gênio como Brecht é dignificar um bufão que transformou a política italiana em horror tamanho que faz parecer virtuosa a política brasileira.
Menos mal que Berlusconi tenha perdido, ontem, o seu mais recente desafio às instituições italianas, ao se ver abandonado por seus próprios parceiros de sempre na tentativa de derrubar o governo do centro-esquerdista Enrico Letta.
O até então inoxidável líder da direita ameaçava retirar o apoio do seu grupo (o PdL, Povo da Liberdade) se não fosse mantido no Senado, apesar de condenação irrecorrível por fraude fiscal.
Neste ponto específico, a regra italiana é melhor que a brasileira. A lei impede que um condenado por sentença definitiva, caso de Berlusconi, permaneça como parlamentar. No Brasil, o Congresso tem a última palavra --e pode ser a pior palavra, como se viu no caso Natan Donadon.
Volto a Berlusconi: pela primeira vez na história de suas aventuras políticas, um punhado de fiéis se rebelou e resolveu contrariar a ordem do chefe de votar contra o governo de que eles próprios fazem parte.
À primeira vista, é fim do percurso para Berlusconi. "Perdeu o bastão de comando, a possibilidade de personificar o passado, o presente e o futuro da direita italiana", diz Ezio Mauro, chefe de redação do "La Repubblica".
Tomara que seja assim, mas não é prudente esquecer que Berlusconi "chega ao fundo da psique italiana", na avaliação de Martin Sorrell, mago da comunicação, da WPP (maior grupo mundial de agências de publicidade e comunicação).
Só assim se explica a sobrevivência do magnata na primeira linha da política italiana, durante os últimos 20 anos.
Berlusconi tem um ponto de contato, no Brasil, com Paulo Salim Maluf: ambos foram sitiados permanentemente por uma catarata de denúncias e processos judiciais.
E é aí que dá para dizer que, no Brasil, as coisas são menos sombrias: primeiro, Maluf, ao contrário de Berlusconi, jamais foi definitivamente condenado.
Segundo, jamais chegou ao posto máximo da República. O político italiano, ao contrário, foi três vezes eleito presidente do Conselho de Ministros.
E, nas duas vezes mais recentes, usou o cargo para tentar blindar-se do que considera perseguição judicial, em vez de administrar.
A solidão em que acabou ficando Berlusconi em seu próprio partido talvez dê margem ao surgimento de "uma direita moderna", que não seja, como o PdL, "cesarista e populista", torce Ezio Mauro.
Mas a herança deixada pelo mais recente período Berlusconi é, esta sim, maldita: de 2008 a 2012, a Itália perdeu 6% de seu PIB (Produto Interno Bruto). Sua derrota retira o componente burlesco da crise econômico-social, mas não a resolve.



A isso ai seguiu-se uma série de comentários, típicos, que coloco a seguir sem mencionar nomes.
Obs. Os comentários começam de baixo para cima.



Viva Berlusca. Estou certo que ele vai dar a volta por cima e voltar nos braços do povo. Este mundo pertence aos bann hdidos
.
Discordo. O mundo não! Alguns países.
.
Que sorte a dos italianos,vendo o seu bufão afastando-se do palco,enquanto por aquiuma criatura histriônica recusa´se a abandonar a ribalta...
.
Ôba. Acertei em cheio.
.
Que fique esclarecida a identidade do bufão doméstico : é o Rasputin do ABC...
.
Quet tal Lu la?
.
OK. Então FHC?
.
F.. O Ser ra, com todos os seus defeitos, não me parece histriônico, Mas deveria afatar-se da política.
.
JoséSerra?
.
Qual delas? Rs.
.
Berlusconi, o bufão-mor da política italiana, truão do melodrama patético que sempre foi a direita-boçal no poder. O mundo inteiro riu ou teve pena deste personagem que se achava Napoleão na estratégia, Mussolini na política e Thatcher na economia. Não passa de demente.
.
E o Maluf tem ainda uns incríveis 17% se não me engano. A popularidade do Berlusconi não entendo. Deve ser, talvez, por causa dos péssimos governos que o precedaram. E talvez também um pouco de saudade do duce.
.
Agora, imagine metade ou mais dos brasileiros votando, amando, defendendo e enaltecendo Maluf. Eis o retrato da Itália.
.
Ok. Mesmo assim, soube se beneficiar das oportunidades. Qualquer semelhança com Sarney ou Maluf é mera coincidência. Rs.
.
Bom dia P., área privada em que sentido? Esfera privada? Um cara rico e senil que gosta de sacanagem com marafonas de todas as idades (nada contra se não fosse ou tivesse sido representante mais alto do governo italiano). Área privada econômica? Ele sempre se aliou a políticos corruptos (Craxi - PSI) para conseguir contratos e licitações milionárias até ser rico o bastante para se lançar à política com apoio da máfia e dos setores mais retrógrados da Itália.
.
Olá, F.. Infelizmente, o meu comentário está na moderação. De qualquer modo, concordo com tudo que você escreve. Só não sei como este bufão conseguiu se tornar na área privada o que ele é. Talvez porque a centro-esquerda e a esquerda italianas são uma lástima.
.
E por incrível q pareça tem pessoas q defendem o Berlusca neste fórum.
.
Berlusconi pagliaccio só teve sucesso político na Itália por causa da incompetência da centro-esquerda italiana. A analogia com Salim é pertinente. Ambos são bufões. Ambos gostam de meninas menores de idade. Ambos cometeram ilícitos. No caso de Berlusconi, sonegação e suborno. Em termos de desvio de dinheiro público, Salim está anos luz à frente. E por mais morosa que seja a justiça italiana, Berlusconi foi condenado. Salim que tem uma folha corrida criminal, não. E não será.
.
O único jornal estrangeiro que , hoje em dia, eu ainda leio regularmente, e do qual não abro mão é a NZZ.
.
Exagera. Somos insuperáveis.
.
Clóvis Rossi, em sua coluna de hoje, assim o define: "...um bufão que transformou a política italiana em horror tamanho que faz parecer virtuosa a política brasileira".
.
Enzo Biagi e outros "independentes" foram afastados por não seguir a linha editorial ditada pelo chefe. O jornal continua bom, mas jamais desce a lenha no chefe. Digamos que é.... chapa branca. Para ler algo (soft) contra Berlusconi vc deve ler La Repubblica. Digo soft pq se a Repubblica ousar denunciar algo hard, Berlusconi (dono da maior agência publicitária italiana MEDIASET) desvia toda a publicidade em outros jornais mais... alinhados.
.
Não sei como é o Corriere hoje em dia, mas quando estudante eu o lia assiduamente. Era excelente com os melhores jornalistas italianos escrevendo nele.
.
Quanto ao sucesso empresarial tentei responder logo acima, em outro post.
.
O Corriere della Sera pertence ao grupo controlado por Berlusconi.
.
Continuo achando um mistério o sucesso empresarial deste elemento. Quanto à liberdade de imprensa, creio que na Itália sempre houve e há ainda outras fontes de informação idôneas. Estou um pouco desatualizado, mas anos atrás o Corriere della Sera era um periódico bom. Importante é que ele foi condenado o que não acontece aqui.
.
Teve um momento (não me recordo em que anos) que Berlusconi, além de possuir os maiores jornais, periódicos e editoras da Itália, controlava quatro TVs privadas no conglomerado que dirigia + quatro TVs abertas estatais como primeiro ministro. Em suma, uma lavagem cerebral direta no povo italiano por anos a fio. Nestes veículos só passava notícia BOA (dele). Notícia ruim? Era censurada. Depois falam de liberdade de imprensa.
.
O mais fiel e representativo líder da direita atual.



Depois disso ai eu coloquei meu comentário (3 posts).

"Tanto a designação de "Macheath" como de "bufão" feitas a Berlusconi são coisas de gente despeitada e invejosa que não tem argumentos plausíveis e honestos para atacar quem não gostam e passam para a ofensas pessoais e apelidos idiotas..
Tenho cidadania italiana e voto em Berlusconi, por que?..
Porque na Itália a alternativa são os corruptos comunistas que mantém a Itália a décadas empacada em luta ideológica.."

"Berlusconi é filho de uma dona de casa e de um empregado de banco, ele fez fortuna com seu trabalho e competência, e seu sucesso inspira a inveja e o despeito em muitos, em especial dos incompetentes socialistas que não vivem sem a ajuda do estado...
Berlusconi é um dos baluartes na Itália que até hoje conseguiram impedir que a Itália seja transformada e um país socialista."

"PS. Se ele gosta de mulheres, sejam de que tipo forem, ótimo! Pior são os que tem medo de fazer o que gostariam de fazer com sexo e passam pela vida se remoendo de raiva de quem tem coragem e dinheiro para ir fazer o que gosta."


Vamos acrescentar mais alguma coisa.

Antes, uma informação oportuna.
Eugenio Scalfari, citado por Clovis Rossi, já foi deputado pelo partido socialista italiano, é só mais um "jornalista" militante socialista italiano.
Benito Mussolini, o "Duce", também citado nos comentários, fez toda a sua carreira política como militante do partido socialista italiano, só quando assumiu o poder foi que ele inventou o "fascismo".

Alguns que comentaram parecem não entender tanto a popularidade de Maluf como a popularidade de Berlusconi....
Mas, é simples para entender.
Maluf por exemplo, ele foi prefeito depois de Erundina e a ele sucederam Marta e Serra.
Maluf teve o mesmo valor de orçamento de Erundina e menos da metade do orçamento de Marta e Serra, entretanto, Maluf fez mais obras que todos os três somados !

Os lúcidos do mundo conseguem ver essa verdade, os alienados do mundo não conseguem, tem a mente facilmente dominada pela maledicência de gente corrupta como os que montaram a maior rede de evasão de dinheiro público que se tem notícia, o mensalão.
Foi o pessoal do mensalão que difamou Maluf.
E é por isso que Maluf tem 700 mil paulistas que confiam nele !


Da mesma forma é na Itália, a Itália, desde Gramsci, é infestada de comunistas fanáticos e corruptos, Benito Mussolini fez toda a sua carreira política como militante do partido socialista italiano e só depois que tomou o poder inventou o fascismo.

A justiça italiana foi dominada por  esquerdista, tais corruptos acusaram Berlusconi de crimes que não provaram adequadamente, o "crime" mais lembrado de Berlusconi é ter, supostamente, saído com uma menor de idade, os socialistas italianos já cometeram muito mais crimes que Berlusconi, mas, não são acusados de nada, a anos eles tentam condenar Berlusconi e assim conseguir tira-lo da política para que possam ficar livres para cometerem seus abusos e tentarem implantar o socialismo na Itália.

E aqui no Brasil, terra infestada de alienados esquerdistas, em especial na imprensa escrevendo suas maledicências, muitos aplaudem essa sua condenação, que espero Berlusconi se livre dela e continue a impedir que a baderna socialista corrupta tome o poder na Itália.


***



Notícia na Folha de S.Paulo


Justiça italiana absolve Silvio Berlusconi pelo caso Ruby
DA AFP

18/07/2014 09h04 - Atualizado às 14h20

A Corte de Apelação de Milão absolveu nesta sexta-feira o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi da condenação a sete anos de prisão por prostituição de menores e abuso de poder no chamado 'caso Ruby'.
Os três integrantes da corte deliberaram por três horas e decidiram "absolver" o magnata dos meios de comunicação porque o "fato não constitui um delito", anunciou o juiz Enrico Tranfa.
Como em outras ocasiões, Berlusconi, de 77 anos, não estava presente, pois cumpre desde 9 de maio a sentença de meia jornada com os pacientes de Alzheimer do Centro de Assistência de Cesano Boscone, na região de Milão, estabelecida pela justiça.
.....

Comentário.

Berlusconi, mais uma vez, é inocentado das maledicências inventadas contra ele pelos socialistas italianos.


***